quarta-feira, 23 de julho de 2014

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Re: Novas perspectivas do amor por ANDRÉ PEREIRA SIERRA - Sexta Feira, 18 Julho 2014, 13:29

Re: Novas perspectivas do amor
por ANDRÉ PEREIRA SIERRA - Sexta Feira, 18 Julho 2014, 13:29
 
O primeiro texto do fórum, Bestão parece um palavrão popular se referindo a um homem, versos livres,(sem métrica), versos brancos (sem rimas) de linguagem informal, logo após existe a palavra querido, nos da certeza que é uma mulher se comunicando com um homem, eu-lírico feminino fala sobre seus sentimentos, utilizando a expressão de quem sofre de saudade e tristeza na solidão do apartamento de hotel, essa distância pode ser grande ou pequena, física ou intelectual, ela pode amar, mas ela consegue conter o choro talvez por uma vaidade de mulher,porque seus olhos ficam feios com as lagrimas.
No segundo texto do fórum, os Seios, desperta em nós leitores uma imagem do narrador masculino, eu-lírico masculino,parnasianos, expressa o que sente ao ver a mulher, fantasiando a sedução, perigo da serpente arquejante, como um símbolo.Se enrosca em férvida, palavra talvez não muito utilizada, quente, apaixonado, podemos imaginar o amor na areia, parece um sonho, um anseio, ávido olhar, colo deslumbrante, nos elogios encontramos visão e palavra, verso de norma culta, rima, de um homem para uma mulher.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

quarta-feira, 16 de julho de 2014

sábado, 12 de julho de 2014

Re: FÓRUM 3: Formação Sociocultural e Ética II: Início em 28/06 e término em 12/07 valendo 100% por ANDRÉ PEREIRA SIERRA - Sábado, 12 Julho 2014, 13:29



As redes sociais, as tecnologias estão transmitindo um novo jeito de viver para grupos de pessoas se identificarem com outros indivíduos no mundo. A citação do fórum com Jenkins, 2010, p.29 explicando a convergência ,transformações da tecnologia, mercados culturais e sociais, nos leva a pensar na adaptação da humanidade com suas transformações.

As marcas fazem suas propagandas no cinema patrocinando, observando os consumidores e produzindo os produtos e comerciais que agradam aquele publico especifico, é um jogo de marketing que conquista o consumidor levando uma mensagem estratégica que desperta sentidos e vontades de obter tal produto no caso a Stella Artois, a Devassa, para quem gosta da água na boca em ver a bebida na propaganda de filmes, programas, jogos, entre outras transmissões áudio visuais, as mudanças na publicidade são inovadoras e ao mesmo tempo tradicionais, para manter um equilíbrio de qualidade e novidade.

Podemos afirmar que a publicidade, nas redes sociais, a internet na tela do computador e celular, atinge o individuo com uma força muito maior que tempos passados de propagandas antigas, alguns segundos de uma propaganda bem feita ecoa em nossa memória e raciocínio como um vicio, criando a necessidade de satisfazer nosso prazer momentâneo comprando o produto.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Sociedade de consumo.

2
sociedade hipermoderna provocou no mercado publicitário e
principalmente
no
comportamento do novo consumidor.
A construção dest
e artigo de deu por meio de pesquisa bibliográfica com o
levantamento das teorias sobre a temática e ainda com a apresentação de múltiplos casos onde
fica evidenciada esta nova forma de praticar a publicidade.
Considerando
-
se que vivemos em uma época de v
ertiginosas transformações que afetam
de forma constante as relações de consumo se faz primordial o debate contínuo sobre este
tema.
Portanto o presente trabalho justifica
-
se
por se tratar de um
assunto
atual e de grande
relevância para estudantes e profis
sionais da área de comunicação
.
Pretende
-
se, ao final deste
trabalho
, contribuir para o enriquecimento da investigação acerca d
a publicidade convidativa
e interativa e as formas de relação com o novo consumidor da era da cultura participativa e da
convergê
ncia de mídias
com destaque para as
tendências que irão moldar o mercado
publicitário.
2.
A sociedade de consumo
Consumir é um ato inerente ao ser humano. Desde
a era agrícola
que organizou as
primeiras tribos ou aglomerados sociais, o consumo tornou
-
se
a ba
se para as atividades
humanas e seu desenvolvimento.
Há dez mil anos, o cultivo da terra em pequenas aldeias, o
aparecimento do escambo e o conceito de valor deram início a um desenvolvimento lento,
mas constante para o surgimento de uma nova sociedade que
emerge entre os séculos XVI e
XVIII, a Sociedade de Consumo


 http://www2.metodista.br/unesco/1_Ecom%202012/GT3/29.Rela%C3%A7%C3%B5es%20de%20Consumo%20na%20era%20da%20converg%C3%AAncia_Jorge%20Dal.pdf

http://www.ibiblio.org/ml/libri/a/AssisJMM_MemoriasPostumas/node127.html

http://www.ibiblio.org/ml/libri/a/AssisJMM_MemoriasPostumas/node127.html

Capítulo CXXIV
Vá de intermédio

Que há entre a vida e a morte? Uma curta ponte. Não obstante, se eu não compusesse este capítulo, padeceria o leitor um forte abalo, assaz danoso ao efeito do livro. Saltar de um retrato a um epitáfio, pode ser real e comum; o leitor, entretanto, não se refugia no livro, senão para escapar à vida. Não digo que este pensamento seja meu; digo que há nele uma dose de verdade, e que, ao menos, a forma é pitoresca. E repito: não é meu. 20