sexta-feira, 24 de junho de 2016

ATIVIDADE SEMANAL 2 - PÓS GRADUAÇÃO - FUNDAMENTOS HISTÓRICOS E EPISTEMOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA - 2016 5

  5ª QUESTÃO
A teoria da ciência, que é chamada de Apriorismo ou Inatismo, baseia-se naquilo que é posto antes como condição do que vem depois, ou seja, a bagagem hereditária do aluno é que determina o seu aprendizado. Identifique e assinale a alternativa correta acerca da teoria exposta.
 
I - Nessa tendência, há preocupação com problemas psicológicos e estudos sobre o desenvolvimento emocional, cognitivo e criativo.
II - Essa epistemologia acredita que o ser humano nasce com o conhecimento já programado na sua herança genética.
III - A interferência do meio, na epistemologia apriorista, deve ser valorizada ao máximo.
IV - A partir dessa perspectiva, a educação surge como um processo de retardamento, pois estima o que cada um tem em potência.
1e2
epistemologia
apriorista (inatista)
A fundamentação epistemológica
fundada no apriorismo ou inatismo,
diferentemente do empirismo,
apresenta uma pedagogia centrada no aluno.
Uma das ideias bem difundidas é aquela
que concebe a inteligência como uma capacidade,
dom ou vocação que possuímos
independentemente de nossos esforços ou
dos ensinamentos que recebemos na escola
ou na vida (MACEDO, 2002).
A concepção inatista tem como pressuposto
que as qualidades e capacidades
básicas de cada ser humano, sua personalidade,
seus valores, hábitos e crenças, sua
forma de pensar, suas reações emocionais e
mesmo sua conduta social, já se encontrariam
basicamente prontas por ocasião do
nascimento, sofrendo pouca diferenciação
qualitativa e quase nenhuma transformação
ao longo da existência.
Nessa tendência há preocupação com
problemas psicológicos, estudo sobre o
desenvolvimento emocional, cognitivo e criativo.
O sujeito é percebido como indivíduo
único, com capacidades cognitivas e emocionais
subjetivas, um ser inacabado com
necessidades individuais, mas pertencente
a um meio coletivo.
A concepção de conhecimento que acredita
que se conhece porque já se traz algo,
ou inato ou programado na bagagem hereditária,
para amadurecer mais tarde, em
etapas previstas, chama-se apriorismo e pode
ser representada, como modelo, da seguinte
fórmula:
S O
Becker (2003) declara que esta epistemologia
acredita que o ser humano nasce
com o conhecimento já programado na sua
herança genética. A interferência do meio –
físico ou social – deve ser reduzida ao mínimo.
A partir dessa perspectiva, a educação surge
como um processo de atualização, no sentido
de tornar presente o que cada um tem em
potência.

ATIVIDADE SEMANAL 2 - PÓS GRADUAÇÃO - FUNDAMENTOS HISTÓRICOS E EPISTEMOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA - 2016 4

Fundamentos históricos e epistemológicos da educação e suas implicações para a prática pedagógica
46
Nesta unidade, iremos refletir sobre as
teorias do conhecimento, especificamente
enfatizaremos o empirismo, o apriorismo
e a epistemologia relacional. Estudaremos
como tais teorias sustentam as três diferentes
formas de representar a relação conhecimento/
ensino/aprendizagem escolar.
Conhecer como ocorre a construção
significativa do conhecimento no processo
pedagógico é ajudar a eliminar a determinação
social dos alunos. Desta forma, para o
professor este conhecimento é imprescindível
a fim de melhor saber como interagir com
o educando e o conhecimento, no sentido de
favorecer seu desenvolvimento e sua emancipação
humana na sociedade.
Becker (2005) declara que quando o professor
seleciona o conteúdo da disciplina
que vai ensinar, quando decide pelo método
e pelos procedimentos de ensino, quando
enfrenta as dificuldades de aprendizagem
dos seus alunos está pressupondo algumas
questões epistemológicas. Dessa maneira,
as escolhas que se façam, quer acerca de
qual conteúdo priorizar, qual método utilizar
para desenvolver as atividades de ensino e
aprendizagem, qual instrumento de avaliação
utilizar, não são neutros, sempre estão
conduzidos por determinados valores, por
determinadas concepções epistemológicas
que, traduzidas didaticamente, fazem
avançar, retardar ou até impedir o processo
de construção do conhecimento.
1,2,4

  4ª QUESTÃO
Ao longo da história, tanto a filosofia como a psicologia exerceram grande influência nos procedimentos pedagógicos adotados pelas escolas. Em relação as teorias do conhecimento, seus significados no âmbito escolar e a importância de conhecê-las, leia as afirmativas abaixo e assinale a alternativa correta:
 
I - Conhecer como ocorre a construção significativa do conhecimento no processo pedagógico é ajudar a eliminar a determinação social dos alunos.
II - Esse conhecimento é imprescindível a fim de melhor saber sobre a maneira de interagir com o educando e o conhecimento, no sentido de favorecer o seu desenvolvimento e sua emancipação humana na sociedade.
III - O professor pressupõe a inexistência epistemológica no momento em que seleciona o conteúdo da disciplina que irá trabalhar em sala de aula, quando decide pelo método e procedimentos de ensino e, também, quando enfrenta as dificuldades de aprendizagem.
IV - As escolhas feitas pelo docente no processo de ensino-aprendizagem sempre estão conduzidas por determinados valores e por determinadas concepções epistemológicas que, traduzidas didaticamente, fazem avançar, retardar ou até impedir o processo de construção do conhecimento.

ATIVIDADE SEMANAL 2 - PÓS GRADUAÇÃO - FUNDAMENTOS HISTÓRICOS E EPISTEMOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA - 2016 3

1,2,3
Nesta
perspectiva, a avaliação é realizada predominantemente
visando à exatidão da produção
do conteúdo comunicado em sala de aula,
sendo que a reprovação do aluno passa a ser
necessária quando há a constatação de que
o conhecimento mínimo exigido para cada
ano não foi adquirido pelo aluno.
Na prática pedagógica verificamos que
com frequência a aula acaba se resumindo
no seguinte:
• Apresentação do ponto.
• Resolução de um ou mais exercícios
modelo.
• Proposição de uma série de exercícios
para os alunos resolverem.

  3ª QUESTÃO
A avaliação é realizada predominantemente visando à exatidão da produção do conteúdo comunicado em sala de aula, sendo que a reprovação do aluno passa a ser necessária quando há a constatação de que o conhecimento mínimo exigido para cada ano não foi adquirido pelo aluno. Na prática pedagógica, verificamos que, com muita frequência, a aula acaba se resumindo em:
Leia as afirmativas e assinale a alternativa correta.

I - Apresentação do ponto.
II - Resolução de um ou mais exercícios modelo.
III - Proposição de uma série de exercícios para os alunos resolverem.
IV - Prática reflexiva, isto é, em aprender a refletir sobre a ação a realizar e sobre a ação realizada.

ATIVIDADE SEMANAL 2 - PÓS GRADUAÇÃO - FUNDAMENTOS HISTÓRICOS E EPISTEMOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA - 2016 1

1,3
A sua fundamentação epistemológica
fornecida pelo empirismo exerceu
forte influência na pedagogia contemporânea.
A experiência planejada é
considerada a base do conhecimento, desta
forma fica evidente orientação empirista
dessa abordagem: o conhecimento é o resultado
direto da experiência.
Nesta perspectiva a epistemologia
empirista fundamentada da psicologia behaviorista
tem como suporte o primado do
objeto sobre o sujeito:
S O





Essa abordagem tem sua manifestação
didática na concepção tecnicista, que na
década de 60 (ditadura) foi predominante
na educação brasileira aparecendo também
de maneira não tematizada na atividade de
muitos professores que nem se quer suspeitam
estar agindo segundo tais pressupostos.



  1ª QUESTÃO
Os comportamentalistas consideram a experiência ou a experimentação planejada como a base do conhecimento, sendo ele o resultado direto da experiência. Analise as afirmativas abaixo e com base na abordagem comportamentalista, assinale a alternativa correta.
 
I - Essa abordagem tem sua manifestação didática na concepção tecnicista que, na década de 60 (ditadura), foi predominante na educação brasileira.
II - O comportamento humano é determinado pelo mérito pessoal, assim, as forças genéticas e ambientais se tornam inviáveis.
III - Sua fundamentação epistemológica, fornecida pelo empirismo, exerceu forte influência na pedagogia contemporânea.
IV - A abordagem comportamentalista, fundamentada na psicologia behaviorista, tem como suporte o primado do sujeito sobre o objeto.
  ALTERNATIVAS

sexta-feira, 17 de junho de 2016

ATIVIDADE SEMANAL 1 - PÓS GRADUAÇÃO - FUNDAMENTOS HISTÓRICOS E EPISTEMOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA - 2016 questão 4

Sendo assim, uma das habilidades que
deve ser desenvolvida no futuro professor
é a capacidade de reconhecer, por meio
das atividades pedagógicas privilegiadas, a
concepção de ensino e aprendizagem que
orienta o seu fazer pedagógico. Ser capaz de
perceber que as atividades de ensino são intencionalmente
organizadas e desenvolvidas
e que cada uma se justifica em função daquilo
que se acredita ser aprender e ensinar. 1,2
Compreender que a prática expressa uma
teoria constitui condição para que o professor
em sua prática pedagógica, não faça questionamentos
baseados no senso comum que
não levaram à reflexão do fazer docente, tais
como: é correto corrigir o aluno?3
No entanto, para que o futuro professor
desenvolva a postura acima descrita,
exige-se que durante o seu processo de formação,
além do conhecimento da realidade
escolar, da instrumentalização técnica ele
receba sólida fundamentação teórica que
lhe permita interpretar e direcionar a realidade
para nela intervir de forma consciente
e planejada.4

A atitude do educador em sala de aula é decisiva para a conquista da confiança dos alunos e para o fluxo eficaz das atividades desenvolvidas. Assinale a alternativa correta, referente às habilidades que devem ser desenvolvidas no futuro professor, para que o mesmo possa obter de seus alunos uma aprendizagem significativa.

I - Reconhecer, por meio das atividades pedagógicas privilegiadas, a concepção de ensino e aprendizagem que orienta o seu fazer pedagógico.

II - Ser capaz de perceber que as atividades de ensino são intencionalmente organizadas e desenvolvidas e que cada uma se justifica em função daquilo que se acredita ser aprender e ensinar.

III - Compreender que a prática expressa uma teoria que constitui condição para que o professor, em sua prática pedagógica, não faça questionamentos baseados no senso comum, ou seja, que não levarão à reflexão do fazer docente.

IV - Além do conhecimento da realidade escolar e da instrumentalização técnica, receber sólida fundamentação teórica, que lhe permita interpretar e direcionar a realidade, para nela intervir de forma consciente e planejada.
todas corretas

ATIVIDADE SEMANAL 1 - PÓS GRADUAÇÃO - FUNDAMENTOS HISTÓRICOS E EPISTEMOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA - 2016 questão 3

Nesta perspectiva, o desafio é romper
com essas concepções cristalizadas e que
muito pouco contribuíram com a formação
do professor. No entanto, é possível romper
com a histórica fragmentação curricular que
insiste na dicotomia entre teoria e prática na
formação de professores? Houssaye (2004)
corrobora com a resposta ao afirmar que
somente formaremos um professor quando
fizermos surgir no processo de formação um
plus na e pela articulação teoria e prática.
Nesse sentido, formar um professor pedagógica
e politicamente competente significa
torná-lo capaz de estabelecer relações entre
os conteúdos discutidos nas instituições formadoras
e a prática vivenciada na realidade
escolar, possibilitando na vivência do fazer
docente a concomitância teoria e prática.
Sendo assim, a importância de estudar as
concepções que a formação de professores
assume no contexto da educação brasileira
está em questionar a possibilidade de formação
do futuro professor, que constrói e
fortalece sua identidade profissional por meio
da relação teoria e prática.
Não obstante, estudos desenvolvidos por
Behrens (1991), Schön (1992), Alarcão (1996),
Nóvoa (1992), Freitas (1996), Lima (2002),
Pimenta e Lima (2004), Tardif (2005) entre
outros, também têm contribuído para que
as práticas de formação de professores sejam
repensadas e novas alternativas apontadas.

Pimenta (1988) indica-nos esse caminho
ao indagar: o que poderia contribuir mais para
a formação de um educador do que refl etir
sobre a realidade que observa e depois retornar
a essa mesma realidade para inová-la e
transformá-la, reinterpretando-a? Reconhecer
a vinculação entre teoria e prática contribui
para o desenvolvimento da autonomia intelectual
do professor, qualidade necessária
durante toda a sua vida profi ssional, para que
não seja resistente a mudanças, apegando-se
a modelos conhecidos, como também não
seja infl uenciado por modismos que prometem
revolucionar a educação escolar sem
promover uma prática em que o conteúdo
seja ressignifi cado.
No entanto, Imbernón (2001) esclarece
que se trata de um academicismo ingênuo
pensar que o futuro professor, em contato
com uma série de fundamentos disciplinares,
será capaz de, automaticamente, transferir
determinados conceitos, procedimentos, atitudes
e habilidades do contexto acadêmico
para a realidade profi ssional.



  3ª QUESTÃO
A dicotomia, entre teoria e prática docente, é um problema que tende a produzir uma prática educacional tradicional. No entanto, correntes pedagógicas contrárias a uma educação tradicional defendem a coparticipação de professores e alunos nesse processo. Assim sendo, quanto à referida divisão, é correto afirmar que:

I - Dentro de um contexto pedagógico, é importante que teoria e prática sejam dissociadas, no sentido de um enriquecimento do trabalho.

II - Segundo Houssaye (2004), somente formaremos um professor, quando fizermos surgir, no processo de formação, um plus na (e pela) articulação teoria e prática.

III - Formar um professor, pedagógica e politicamente competente, significa torná-lo capaz de estabelecer relações entre os conteúdos discutidos nas instituições formadoras e a prática vivenciada na realidade escolar.

IV - Reconhecer a vinculação entre teoria e prática contribui para o desenvolvimento da autonomia intelectual do professor, qualidade necessária durante toda a sua vida profissional, para que não seja resistente a mudanças.
  ALTERNATIVAS
2,3,4

quarta-feira, 15 de junho de 2016

ATIVIDADE SEMANAL 1 - PÓS GRADUAÇÃO - FUNDAMENTOS HISTÓRICOS E EPISTEMOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA - 2016-1

o processo de formação fundamentado na imitação
de modelos não possibilita ao professor a reflexão
sobre o seu fazer pedagógico.
No entanto, considero importante enfatizar
que essa transposição ainda constitui a
concepção de alguns cursos de formação de
professores que não possibilitam ao futuro
professor a reflexão sobre o seu fazer pedagógico,
resumindo a sua prática à transmissão
de conteúdos sem pensar nas possibilidades
e condições de aprendizagens dos sujeitos
envolvidos. Nesta perspectiva de formação, o
professor não é capacitado a desvelar a complexidade
das relações escolares e sociais.

Assim, essa concepção desconsiderava
que para a formação de professores era
necessário mobilizar vários procedimentos
e ampla fundamentação teórica, e que o
conhecimento não se adquire olhando ou
contemplando a prática desenvolvida pela
professora primária, para em seguida tentar
imitá-la. Exige-se que se instrumentalize o
olhar com teorias, estudos, que se conheça
como a realidade foi gerada, condição fundamental
para conhecê-la e interpretá-la.


Considerado modelo eficiente de ensino, a prática de ensinar, através da imitação, direcionou o trabalho docente durante muito tempo na primeira metade do século XIX. Sobre a referida prática, leia com atenção as afirmativas e assinale a alternativa correta, frente a esse processo estudado no material de estudo.

I - Nesta perspectiva de formação, o professor não é capacitado a desvelar a complexidade das relações escolares e sociais.

II - Constitui, ainda, a concepção de alguns cursos de formação de professores, que não possibilitam, ao futuro professor, a reflexão sobre o seu fazer pedagógico, resumindo a sua prática à transmissão de conteúdos.

III - Essa abordagem de ensino, que permeava a formação docente, pensava nas diferentes possibilidades e condições de aprendizagens dos sujeitos envolvidos.

IV - Essa concepção considerava que o conhecimento se adquiria, olhando ou contemplando a prática desenvolvida pela professora primária, para, em seguida, tentar imitá-la.

1,2,4